• Good Smell Estúdio Olfativo

O Perfume de Clarice

Atualizado: Jul 18

A sinestesia é considerada uma característica marcante da obra de Clarice Lispector, reconhecida escritora brasileira. Em 1968, em seu texto "Os perfumes da terra” a autora compartilhou um pouco da sua experiência com o universo das fragrâncias:


“Já falei do perfume de jasmim? Já falei do cheiro do mar. A terra é perfumada. E eu me perfumo para intensificar o que sou. Por isso não posso usar perfumes que me contrariem. Perfumar-se é uma sabedoria instintiva. E como toda arte, exige algum conhecimento de si própria. Uso um perfume cujo nome não digo: é meu, sou eu. Duas amigas já me perguntaram o nome, eu disse, elas compraram. E deram-me de volta: simplesmente não eram elas. Não digo o nome também por segredo: é bom perfumar-se em segredo.”


E qual era, afinal, o perfume de Clarice?


Hoje sabemos que sua fragrância favorita era o Vert et Blanc, da marca francesa Carven. Em um dos textos publicado no livro "Aprendendo a viver", a escritora chegou a expressar sua frustração pela linha não ser mais fabricada: "Vou a Paris de novo ver a Mona Lisa, pois estou com saudade. E comprar perfumes. E sobretudo reclamar com a Maison Carven por eles não fabricarem mais o meu perfume, o que mais combina comigo. Vert et Blanc (…).




Aos curiosos, fica o registro aromático acerca de uma das mais marcantes escritoras da nossa história.


#claricelispector #perfume #perfumaria #identidadepessoal #curiosidadehistorica #jornaldobrasil #perfumesdaterra #vertetblanc


Fonte: Crônica Brasileira.

12 visualizações

GOOD SMELL ESTÚDIO OLFATIVO

Todos os direitos reservados © 2020

Site por Tarcila

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • LinkedIn - Círculo Branco